Segunda-feira, 9 de Abril de 2012
da minha páscoa.

hoje, é dia de Páscoa cá na terra. (sim, cá é à segunda-feira!) o padre entra-nos pela casa a dentro com a cruz nas mãos a declarar uma ladainha e nós, Aleluia! dá-se o envelope, poucos apertos de mão trocados e as flores - coitadas! - até são benzidas. enfim, tão impessoal que me pergunto para onde foi o brilho das minhas memórias de infância. onde está os vivas!, onde está as gargalhadas quando a boca foge para a verdade, onde está o calor da geração que se reencontra... deverá, suponho, ser fruto da minha imaginação: "ó zé, há quanto tempo!", "estás cada vez mais parecida com a tua mãe!" ou"logo vai haver um bailarico na junta, vens?". porém, ninguém comenta a frialdade da coisa, apenas eu e a minha mãe. somos vistas com maus olhos pelos mais velhos. isto, sim, é a tradição! ambas encolhemos os ombros com receio de vir a estragar o dia com uma discussão. nesse momento, a sala deixa o ar cerimonioso dos grandes momentos. tira-se o pão-de-ló, as amêndoas e o folar da mesa. nem dois minutos e como membro mais novo, sou prato do dia das línguas venenosas. pouco tentam disfarçar o olhar e o tom de despeito pela minha pessoa. ó, copo, e aquele que morreu lá em Espanha, estava contigo? já lhes tinha dito que nada sabia daquele sujeito, alias, nem tinha viajado para tal local. ora da minha resposta, surgiu uma infinidade de acusações. apenas queriam um pretexto para acusarem os jovens de delinquentes, drogados e bêbados, que nada faziam da vida e que da vez se concentrarem no estudo querem é borga. então, quem é responsável por estes abusos, por esta falta de educação descomunal? os pais, por compactuarem nestas viagens. e, claro, eles morrem! estava furiosa, estava cheia de raiva dentro de mim capaz de as decapitar pelas críticas tão pouco construtivas e por passarem aos meus pais quase que um atestado de maus pais por me autorizaram a fazer uma das melhores viagens da minha vida. apetecia-me gritar-lhes aos ouvidos que as coisas não são assim tão preto no branco. não adianta, burro velho não aprende línguas.



copodeleite às 19:45
link | |

(16):
De marlene cerm a 11 de Abril de 2012 às 18:45
infelizmente, não. continuo sem estar nas disciplinas que queria, mas tenho 19 em ambas (explicações são o melhor que há!). e o r. pode não entrar na universidade que quer, por isso mesmo. ai, como odeio esta escola. os alunos de línguas têm tudo e mais alguma coisa, os de ciências são e em grande escala totalmente lixados!


De marlene cerm a 11 de Abril de 2012 às 18:08
basicamente, houve alteração das leis e o princípio deste ano lectivo foi passado no conselho executivo. o r. foi parar a outra turma e não tinha as disciplinas que escolheu, eu estava nas minhas segunda e terceira escolhas e outra amiga comum nossa aparecia no computador na minha turma, mas nos papeis estava na do r., chegou ao ponto de ter gente a ter disciplinas fora da sua área, foi um filme.


De marlene cerm a 11 de Abril de 2012 às 18:03
não mudei; ele foi mudado agora no décimo segundo, contra a sua vontade.


De marlene cerm a 11 de Abril de 2012 às 17:57
faço minhas as palavras de minha mãe: "tu e o r. são mais teimosos que 13 professores e duas turmas juntas. (a nossa antiga e a que estou agora)" eu sou filha do funcionário da escola. se pai faz asneira ou proíbe os alunos de fazerem algo, quem sofre é a mara.


De marlene cerm a 11 de Abril de 2012 às 17:35
meio pequeno é favor! apesar de estudar na cidade, sou sempre vista como a moça da freguesia. eu e o meu melhor amigos íamos almoçar sozinhos quase sempre, agora não podemos ir sozinhos que mal saímos da escola dão-nos os parabéns pelo namoro.


De marlene cerm a 11 de Abril de 2012 às 16:07
a melhor parte é eu amar mesmo um rapaz, andar a sofrer porque não demos certo e estarem a comentar na freguesia que somos um casal feliz, que nos viram juntos. a minha directora de turma quer-me juntar com um amigo, até já falou com meus pais sobre o potencial do moço porque somos da mesma idade, de zonas pacatas, médias semelhantes, almoçamos juntos com frequência (talvez por ser dos poucos amigos que tenho, mas isso a professora não nota). o ano passado a malta citadina aproveitou tanto, mas tanto, a viagem de finalistas que no primeiro dia um ficou doente e esteve em coma durante semanas, fechado num hospital de barcelona. para não falar de namoros arruinados porque, sob o efeito da droga, foi um tal cornar à força toda.


De marlene cerm a 10 de Abril de 2012 às 23:48
Ui, descreves-te o que sinto na perfeição. Admito que no Verão passado, uma noite ou outra, exagerei, mas não sou eu que tenho no facebook um vídeo meu com amigos a fumar ganzas, não sou eu que fui parar aos sites "tá fixe", "tá bonito", etc, e acredita quando te digo que já vi lá pessoas que conheço em figuras de gritar "AI, CREDO!" mas eu só por dois/três deslizes sou logo pior que gente? Alguém me explica esta lógica que rege a nossa sociedade? E escolher melhor os meus amigos? Eu antes andava nas ditas "boas companhias" que agora andam quase nuas no facebook, mas eu é que sou malcriada por me ter afastado enquanto era tempo. E histórias, ui histórias, quanto meus pais já não choraram por causa de histórias. Chegou ao triste ponto de estar em casa dum amigo, que meus pais conhecem e sabem que não há nada entre nós, afirmando que éramos um casal, que nos andávamos a comer em público, etc. E a parte mais cómica é que a pessoa que fez esse telefonema era ex desse mesmo amigo. Mas em quem foi que o povo, para além dos meus pais, acreditou? Na T, porque a T vem de boas famílias, sabe o que diz.


De julieta a 10 de Abril de 2012 às 19:52
ora, nao tens de que x)


De Lhuna a 10 de Abril de 2012 às 18:37
muito obrigada. vai ajudar-me certamente. quanto ao resto fica descansada, peço-te o mesmo :)


De Lhuna a 10 de Abril de 2012 às 18:18
posso dar-te o meu email então? obrigada, é mesmo uma grande ajuda :)


Comentar post

Encontras...

Créditos

Formspring

Perfil