Quinta-feira, 2 de Junho de 2011
Fotografia.

Volta ao local de onde nunca devia ter abandonado. As paredes continuavam nuas sem pingo de cor de tão pálidas que eram. Sem nenhum movimento brusco, volta-se para a pessoa que se encontrava à sua frente. A figura masculina estava relaxadamente encostada na superfície lisa com os braços cruzados mostrando no seu rosto um sorriso provocatório pelo desconforto que a rapariga nutria por ali se encontrar. Tentou infrutiferamente adiar aquele regresso, contudo, era inevitável que os caminhos de ambos não se voltassem a  cruzar. Tinham-se ligado de uma forma inexplicavelmente profunda. Vamos acabar com este trabalho rapidamente. O azedume na voz feminina provocou nele um descarregar de adrenalina pelo seu corpo. Foi como um acordar. Olhou-a de alto a baixo como se de uma das suas amigas se tratasse, pondo-a fora de si. Como não queria iniciar uma discussão, rapidamente avançou em passos largos até à divisão onde iriam trabalhar. Sentou-se na cadeira que se encontrava mais próxima da secretária. Na tentativa de arrumar a confusão ali instalada para poder colocar o portátil sobre a superfície poeirenta, encontra uma fotografia. Naquele papel já dobrado reunia, nos sorrisos patéticos de um casal apaixonado, a história de um amor. Não deixou de fechar os olhos recordando o momento. Saboreei-o repetidamente na minha mente. Os sentidos evaporam-se puxados pela mente para mostrar um passado colorido. Um tremor pela espinha a baixo ocorreu. Uma voz rouca sussurra perto do ouvido. Eu também não esqueço esse dia. Sem ter certeza do que os meus sentidos forneciam. Umas quentes mãos obrigando o seu corpo a rodar e os lábios chocam por segundos com uns outros. Aquele movimento conhecido de línguas notava-se uma urgência e uma fome que outrora não existia. As suas mãos debatiam-se em voltarem a percorrer aquele corpo apetecível ou em desatarem desesperadamente em murros. Não conseguiu decidir. A sua respiração tal como a do seu companheiro estavam descompassadas. Mal os lábios de ambos se desuniram, o silencio reinou naquele espaço. Nem as respirações eram sonoras. Um intenso olhar é trocado. A rapariga afastasse com intuito de se formar uma barreira invisível entre os dois. Não voltes a beijar-me. Não me voltes a encher de esperanças, mais uma vez. A voz, pela primeira vez, saiu-lhe trémula quase como se de um pedido se tratasse. O rapaz deu um passo em sua direcção. Ela deu outro para trás. As suas pernas embatem na secretária. Estava encurralada. As suas mãos transpiravam e, numa tentativa que tal cessasse, colocou-as sobre a secretária. Sabia que aquele encontro iria dar mal resultado. Nunca deveria ter concordado com uma ida a casa do rapaz. Mas aqueles olhos conseguiram uma vez mais convence-la e agora estava a pagar por ser fraca. Por ceder à atenção. O rapaz leva uma mão ao cabelo colocando-o ainda mais revolto. Lambe os lábios. Vamos deixar-nos de rodeios. Eu estou apaixonado por ti e tu estás apaixonada por mim. Encurtou o espaço que havia entre ambos com um beijo que a deixou sem argumentos. Não. Tu não gostas de mim. E dito isto, a rapariga sai daquela casa deixando para trás todos os seus pertences mas trazendo consigo a maldita fotografia. Não queria que houvesse nenhuma recordação daquela felicidade ali espelhava. Queimou a fotografia no meio de lágrimas derramadas.



copodeleite às 21:00
link | |

(23):
De alexis a 8 de Junho de 2011 às 21:24
Também para mim. no dia do exame fico sempre muito nervosa. e só de pensar no que tenho de estudar...
boa sorte para os teus exames!
beijinho


De ~ catarina a 8 de Junho de 2011 às 19:35
obrigada querida.

kiss


De Andie a 8 de Junho de 2011 às 16:19
oww...mt obrg qerida *-*


De Cate J. a 6 de Junho de 2011 às 22:15
postei Life Hurts :)


De Aurelle a 6 de Junho de 2011 às 15:33
Os teus e os meus.


De maraft ♥ a 5 de Junho de 2011 às 23:46
talvez esta semana ainda (:


De Vitor a 5 de Junho de 2011 às 22:53
É que não tive alternativa, pelos mesmos motivos que estive a explicar no post que fiz no meu blog pessoal. Claro que podes continuar a seguir o blog da minha história, desde que continues a ler e a comentar. O blog vai estar privado e só será lido por quem eu sigo, por isso eu posso continuar a seguir-te e podes continuar a ler.
Bjs de um amigo :D


De Ana Vicente a 4 de Junho de 2011 às 21:55
Tenho pois, és muito simpática.
Os teus textos estão todos lindos :)


De Ana Vicente a 4 de Junho de 2011 às 21:43
É claro que não me importo e vou seguir-te também :)
Eu é que agradeço, um beijinho.


De ~ catarina a 4 de Junho de 2011 às 17:14
a esperança é sempre a última a morrer


Comentar post

Encontras...

Créditos

Formspring

Perfil

Visitas
Free Web Hit Counter