Domingo, 11 de Março de 2012
(dois)

sinto pena, juro que é sentida. acomodas-te nesse teu deplorável cadáver. nada mais do que um recém-nascido mal abre os olhos ao mundo. quer gordo, magro, alto ou baixo, sempre terás o finito. e és feliz? e o infinito, não? sabem, invejo quem teve a coragem ou a loucura - pois a linha é bem ténue entre os dois conceitos -  de viver. não se limitar a receber o que é dado mas a lutar por sentir. lutas por uma eternidade hoje?


recortes:

copodeleite às 13:30
link | |

(11):
De s. a 11 de Março de 2012 às 21:12
não tens nada, é verdade, só disse o que achava!


De funeraire. a 11 de Março de 2012 às 21:10
Não sou lisonjeadora, sou apenas honesta.
Muito obrigada (:


De filipa a 11 de Março de 2012 às 20:56
é, é mesmo


De funeraire. a 11 de Março de 2012 às 20:42
Uma única palavra que descreva este texto: maravilhoso.
Oh, muito obrigada, por tudo (: Tu também és uma das pessoas que mais admiro na escrita por estas bandas.


De s. a 11 de Março de 2012 às 19:49
nada que agradecer :)


De filipa a 11 de Março de 2012 às 19:00
adorei


De Cath a 11 de Março de 2012 às 18:44
adoro!


De s. a 11 de Março de 2012 às 18:13
adorei isto.


De agnes hope a 11 de Março de 2012 às 16:06
ahahah, obrigada! :)


De agnes hope a 11 de Março de 2012 às 16:00
obrigada :)


Comentar post

Encontras...

Créditos

Formspring

Perfil

Visitas
Free Web Hit Counter