Quinta-feira, 15 de Dezembro de 2011
Cartas para Júlia.

Júlia, seria fácil a vida se existisses dentro de mim. Forte e vital para me manter livre das emoções palpitantes. Controlaria o que me trespassa na mente e nos dias. Contudo, não sou tu. Sou fraca e impotente nos momentos mais detestáveis. Guio-me aos tropeções pelo meu idiota sentido de justiça. Falo com prepotência de arrepiar a pele de quem mais estimo no momento chave para simplesmente ponderar o silêncio como resposta. Assim, limito-me a perdoar os conjunturas que fazem de mim por consequencia das minhas acções pois todo mal reside em mim. Sou o motor de todas as violentas discussões. Mas, percebe, Júlia, não o faço propositadamente. Inconscientemente, cozo uma teia na realidade, desequilibro e magoou-me. Hoje, sem excepção, foi mais um dia detestável com um pequeno pormenor. Não foram problemas inventados na minha cabeça que me afectaram, foram reais e visíveis aos olhos dos comuns. Não estava preparada emocionalmente nem fisicamente para o choque que me atingiu como um raio ainda o sol mal tinha acordado. Sabes pensava ridiculamente que seria tão simples o que o plano estipulava quando criado mentalmente. Para ser franca, penso que aí reside o meu erro, a falta de fidelidade do mesmo. Pensaria eu que conseguiria conversar num tom leve sem grande excitação ou alarme durante os dias da ausência da minha mãe. Enganaria-me com as palavras certas de conforto e caso uma saudade mirabolante me agarrasse, consolaria com as longas idas ao hospital a ouvir a sua voz. Porém, não é a realidade. Ela não é a mulher vibrante que conheço. Está fraca e frágil. O rosto contorce-se de dores e suspira por vida, branco como cal, aspira cada grão de esperança por mim ainda acalentado. Sofro silenciosamente cada minuto em o seu rosto sorri debilmente. Vejo nos seus olhos o esforço de querer ser forte.. Júlia, eu não sou nem consigo fingir o ser mas mesmo assim ela tenta incessantemente até que eu parta do quarto em retorno a casa já o relógio bate as oito badaladas e a hora das visitas à muito ultrapassada. Aí uma corrente de memórias assombram-me no caminho para casa. O espírito pesa-me afogando-me no ar que respiro, quente. Em casa, o silêncio assombra-me. A apatia aqui encontrada teletransporta-me para as mais miseráveis das depressões. Por medo desse lago melancólico que me atrai cada minuto passado mais, torno-me robô na minha vida. As tarefas domésticas tomam um papel de personagem principal nas noites em que o sono abandona o corpo. Não choro estranhamente. Apenas um nó na garganta e a rouquidão não me largam. Fosse esse o mal o menos nestes dias e a minha mãe estaria em casa sã e salva. Desejo arduamente para que tal aconteça. Contudo, ainda há um pequeno pormenor que ainda me amaldiçoou o dia. Entre o estado adormecido do meu ser, o telefone toca já as horas são tardias. A Catarina, amiga minha de longa data e confidente, tentou novamente um suicido em vão. Quantas mais vezes verei-a a destruir a sua vida sem conseguir a ajudar. Gosto dela por quem ela é, pela pessoa maravilhosa que consegue ser nos dias coloridos das nossas vidas. No entanto, ela teima em pintá-los de cinzento e escurecer as minhas olheiras no mais profundo preto possivel. Não me adianta gritar-lhe aos ouvidos que na vida nada se resolve nos antidepressivos e nos ataques de raiva. Faço-lhe um ultimato mal entendido. Desconfia das minhas boas intenções tornando-me a má da fita. Maltrata-me! Magoa-me mas não desisto porém é insuportável ver o destino traçado sem poder alterá-lo. Enfim, estou exausta deste dia. Quero paz e descanso. Julia, o que farias na minha posição? Sei que aguentariaste em pé sem preocupares os restantes nem chorarias mas, de momento, torna-se impossivel se-lo. Compreende-me.

Até um dia, Copo.



copodeleite às 22:30
link | |

(15):
De -Léé ♥ a 20 de Dezembro de 2011 às 14:47
gosto (:


De Jé. a 20 de Dezembro de 2011 às 01:48
Devo confessar que a tua ausencia me preocupa :s
espero que esteja tudo bem, beijinho :)


De H a 18 de Dezembro de 2011 às 19:06
princesa vota no meu pool . que está no post mais recente


De superstar a 18 de Dezembro de 2011 às 18:44
visita o mais recente blog de moda . http://lifesfashion.blogs.sapo.pt/


De H a 17 de Dezembro de 2011 às 18:26
tudo bem?


De shophere a 17 de Dezembro de 2011 às 17:08
ainda não fizeste as tuas compras de natal? vai já ao blog www.shophere.blogs.sapo.pt e encomenda algo! tem coisinhas super baratas e algumas de marca a preços super acessíveis a metade do preço original, e a maioria das coisas nunca foi usada! :) feliz natal e fico á espera da tua encomenda :D xx


De H a 17 de Dezembro de 2011 às 13:21
Olá querida :)


De coraline a 16 de Dezembro de 2011 às 14:38
somos as duas! estou sempre tão vazia.


De Jé. a 16 de Dezembro de 2011 às 00:44
Pois, já entendi. Oh querida, não te conheço, mas assim que acabei de ler o post, apeteceu-me dar-te um abraço. Sei que não resolve nada. Mas talvez por ja ter sentido o que estas a sentir. quero dizer-te tanta coisa, que nem consigo dizer nada :s A serio fala comigo. Eu consigo MESMO entender. Força linda. beijinho grande !


De G a 15 de Dezembro de 2011 às 23:38
credo, o que é que se passa com a tua mãe ? fiquei realmente preocupada com isso e com o facto da tua amiga se querer suicidar :s


Comentar post

Encontras...

Créditos

Formspring

Perfil

Visitas
Free Web Hit Counter